Fragilização por Hidrogênio

Decapagem de peças em ácido (Ex: muriático, nítrico ou clorídrico) ou processos de galvanoplastia de produtos ferrosos (Ex: zincagem) são etapas realizadas em ambientes ricos em Hidrogênio.

O Hidrogênio tem peso atômico 1, sendo o menor átomo da tabela periódica.

Não importa a dimensão das peças, quando submetidas em processos como os descritos acima, estarão sempre suscetíveis à Fragilização por Hidrogênio.

Os átomos de Hidrogênio atravessam as peças e ficam alojados nos contornos de grãos, ocasionando micro trincas que vão se propagando no interior das peças, diminuindo a resistência mecânica do material e ocasionando a quebra dos produtos em curto espaço de tempo (diminui a vida útil dos acessórios).

Para se evitar a Fragilização por Hidrogênio após o processo em banho ácido, deve-se realizar a desidrogenização dos itens (neutralização), através de um revenimento em forno aquecido 200oC por 2 horas, resfriando posteriormente ao ar livre. Este procedimento deve ser realizado imediatamente após a utilização das peças em ambientes ácidos.

Lingas de correntes e acessórios comuns em aço são mais propensos a este tipo de problema, os itens em material Grau 8 ou 10 resistem mais, porém o material mais indicado para utilização seria os componentes em Aço Inox da série 300 ou 400.

Os Aços Inoxidáveis são bem resistentes à Fragilização por Hidrogênio, devido ao alto teor de elementos de liga em sua composição química como o Cromo e Níquel, porém são também vulneráveis à este tipo de problema ao longo do tempo.

Elaborado por: Joel Braga – Processos e Produção

Esta entrada foi publicada em Artigos Quality Fix. Adicione o link permanente aos seus favoritos.